Zumbido Nos Ouvidos – Tinnitus

Zumbido – Tinnitus

Sinónimos de ZumbidoAcúfenos, Tinnitus, zumbido nos ouvidos, ruídos ou zunido nos ouvidos, zunido no ouvido, tinido.

O zumbido pode ser definido como uma ilusão auditiva, ou seja, uma sensação sonora quase sempre não relacionada com uma fonte externa de estimulação. O zumbido normalmente não é uma doença, mas sim um sintoma de alguma outra doença que afeta o sistema auditivo. A palavra tinnitus deriva do latim tinnire, significando tocar, zumbir (to ring).

O zumbido acomete milhões de indivíduos por todo o mundo. Vários estudos comprovaram a grande frequência dos zumbidos. Alguns destes referem que entre 5% a 20% dos adultos já tiveram zumbidos; 1% consideram que este está presente e perturba o seu dia a dia, 0.5% queixam se de que o barulho é intolerável. Até 40% dos americanos apresentam zumbido em algum momento de suas vidas. Destes, 15 a 17% (36 – 40 milhões) queixam-se de zumbido constante.

Em sua forma severa (20% dos casos), o zumbido é considerado o terceiro pior problema que pode acometer o ser humano, atrás apenas da dor e tontura intensas e intratáveis, segundo pesquisa realizada pela Public Health Agency of America, em 1984/85. Todas as demais doenças, como cancro, paralisias, cegueira e surdez aparecem posteriormente na lista. Assim, o zumbido torna-se muitas vezes um problema debilitante, impedindo a vida normal e, em alguns casos, podendo até precipitar o suicídio. Na maioria dos casos, o zumbido é uma perceção auditiva “fantasma”, percebida exclusivamente pelo paciente

Com frequência, o zumbido é acompanhado de outros sintomas, como perda auditiva, tontura e intolerância a sons altos, que também refletem o estado dos ouvidos e prejudicam a vida de quem convive com o zumbido.

Causas

O zumbido é um sintoma e não uma doença. Dessa forma, diversas patologias podem estar por trás dos barulhos escutados no ouvido. Muitas vezes a causa exata não é descoberta.

As teorias atuais realçam o papel do sistema auditivo. Simplificando, podemos dizer que toda a lesão ou mau funcionamento do ouvido pode ser responsável pelo zumbido. Esta lesão geralmente situa-se no ouvido interno (ou cóclea), isto é, no órgão sensorial que transforma as vibrações acústicas em estímulos nervosos. Mas os ouvidos externo e médio, isto é o canal auditivo externo, o tímpano, os ossinhos que veículam os sons para o ouvido interno, também podem gerar acúfenos.

Seja qual for a sua origem o sinal anómalo vai ser transmitido ao nervo auditivo. Este vai transferir a informação fielmente aos centros auditivos cerebrais que são responsáveis pela análise. Estes são por sua vez “enganados” pela informação que chega da periferia e não conseguem perceber que o sinal não corresponde a nenhum barulho exterior.

Algumas vezes o zumbido é gerado diretamente nas vias nervosas auditivas. Finalmente seja qual for a origem do gerador do zumbido tudo se passa como se este sinal interno fosse muito importante devido ao seu carácter insólito, sendo transmitido sucessivamente pelos vários centros cerebrais. O cérebro não pode ser visto como uma empresa com uma hierarquia estanque em que abaixo se situam os empregados e em cima o patrão, mas sim como uma rede neuronal. Assim as informações que vão chegando a um determinado local são comparadas, e trocadas por outras de outros centros também importantes e especializados noutras tarefas. Assim, se toma consciência do sinal que vem da periferia que se torna audível.

Este sistema auditivo funciona como um cadeia de alta fidelidade com um microfone, um cabo, um amplificador e um grande computador que armazena e utiliza todas as informações que chegam captadas pelos microfones. No entanto, ao contrário de um sistema inerte nós temos um cérebro que tem uma função essencial: ele é capaz de hierarquizar os sinais que chegam, dando-lhes um valor/significado agradável ou não, de perigo ou não, de interesse ou não. Esta propriedade permite-nos por exemplo, esquecermo-nos do ruído do motor do carro mas de notarmos se surgir alguma anomalia sonora que possa significar uma avaria. Assim, também a pessoa que tem um zumbido, tem tendência a focalizar-se nesse ruído que se torna por vezes incomodativo.

A classificação é essencial para o diagnóstico preciso e escolha do tratamento adequado, assim, alguns autores preferem a divisão do zumbido de acordo com sua fonte de origem: zumbidos gerados por estruturas para-auditivas, geralmente de origem vascular ou muscular (mioclônica) e zumbidos gerados pelo sistema auditivo neurossensorial. Essa divisão tem mais utilidade por ser paralela à anátomo-fisiologia das vias auditivas e por apresentar investigação diagnóstica e tratamento diferentes para ambos os grupos.

As alterações musculares mais relacionadas a zumbidos são a mioclonia dos músculos da orelha média e a mioclonia palatal. Dentre as alterações vasculares, podem causar zumbidos pulsáteis os paragangliomas, as malformações ou fístulas artério-venosas, aneurismas intra ou extra-cranianos, bulbo da veia jugular alto ou deiscente, entre outros. Tais zumbidos são raramente descritos na literatura e pouco abordados em cursos e congressos da especialidade. Entretanto, merecem atenção do Otorrinolaringologista, já que em geral correlacionam-se a causas tratáveis e sua pronta identificação é fundamental para o tratamento adequado.

Zumbidos gerados pelo sistema para-auditivo são, na maioria das vezes, relacionados a causas identificáveis e tratáveis. Quando analisamos as etiologias mais frequentemente relacionadas a esses tipos de zumbido, observamos uma riqueza de características clínicas que possibilitam estabelecer o diagnóstico através de uma anamnese detalhada e exame físico cuidadoso. Trabalhos apontam que até 20,11% de todos os pacientes portadores de zumbido estão neste grupo. Considerando o desafio que o tratamento do zumbido representa na prática diária, chamamos a atenção para estes pacientes que podem se beneficiar do estabelecimento do correto diagnóstico e da abordagem específica, culminando no controle da sintomatologia.

Condições que levam ao zumbido podem ter origem no próprio sistema auditivo ou em outros sistemas que afetam o ouvido de forma indireta.

Os principais problemas originados no sistema auditivo são:

  • Perda auditiva relacionada à idade;
  • Exposição a ruídos altos, tanto no lazer quanto no trabalho;
  • Bloqueio por cera;
  • Alterações dos ossículos da audição;
  • Doença de Ménière;
  • Neurinoma do acústico (tumor raro que acomete o nervo auditivo).

Doenças que tem origem em outros sistemas e que podem afetar o sistema auditivo estão abaixo relacionadas

  • Distúrbios da articulação têmporomandibular e outras alterações odontológicas
  • Alterações metabólicas: dos açúcares, gorduras e deficiência de vitaminas
  • Alterações hormonais: tireoide e hormônios sexuais
  • Distúrbios cardiovasculares: hipertensão arterial mal controlada e arritmias
  • Distúrbios psiquiátricos como depressão e ansiedade
  • Malformações de vasos da cabeça e pescoço.

Outras situações frequentemente relacionadas ao zumbido

  • Maus hábitos alimentares: consumo abusivo de doces, café e períodos prolongados de jejum,
  • Cigarro e bebidas alcoólicas: pioram a perceção do zumbido
  • Medicamentos: uma lista grande que inclui antibióticos, diuréticos, quimioterápicos, AAS (aspirina) e outros anti-inflamatórios em altas doses e alguns antidepressivos.

 

zumbidos2

Zumbido nos ouvidos pela visão da Medicina Tradicional Chinesa

A orelha (ouvido) é a abertura dos Rins, porém nem todo problema de ouvido está relacionado com os Rins.
Tinnitus indica uma subjetiva sensação de ouvir sons ou ruídos em um ou em ambos ou ouvidos. Os sons podem ser constantes ou intermitentes e podem variar na intensidade e características. Pode ser como o som de campainha nos ouvidos, lembrando o cantar de uma cigarra, como a maré do oceano, água a correr, sinos, estalos ou ainda como um motor a trabalhar. Apesar dos Rins ter a sua abertura nos ouvidos, muito outros órgãos e meridianos influenciam os ouvidos e podem estar envolvidos na causa do Tinnitus. O meridiano da Vesícula-Biliar por exemplo passa pela orelha e atravessa o ouvido, e muito provavelmente estará envolvida nestes distúrbios, especialmente nos casos onde a natureza seja de excesso.
Tinnitus é frequentemente o primeiro sinal de uma eminente perda da audição, surdez.

Etiologia e Patologia

Tensão emocional

Problemas emocionais como raiva, frustração, ressentimento ou ódio causam estagnação do Qi do Fígado, a longo prazo o Fogo do Fígado pode elevar-se e afetar o ouvido, podendo causar Tinnitus de aparecimento abrupto e de som intenso.
Emoções como a tristeza, pesar e preocupação com deficiência do Pulmão e Coração, pode também originar o Zumbido nos ouvidos. Isto ocorre quando as deficiências de Qi do Pulmão e do Coração falham em subir a cabeça para clarear os orifícios do ouvido.

Excesso de trabalho e atividade sexual

Estes enfraquecem os Rins que ficam incapacitados de nutrir o ouvido, resultando em Tinnitus. Este tipo de Zumbido é caracterizado pelo aparecimento gradual e com som de baixa intensidade. É a causa mais comum de Zumbido no ouvido.

Idade

A Essência do Rim declina naturalmente com o passar dos anos, nos idosos, o Rim pode falhar em nutrir o ouvido originado o Zumbido. Isto não afirma que toda pessoa idosa irá inevitavelmente sofrer com Tinnitus. Este género também apresenta início gradual e com som de baixa intensidade.

Dieta

O consumo excessivo de lacticínios e alimentos gordurosos, em conjunto com maus hábitos alimentares, podem levar a formação de Fleuma que pode ascender à cabeça. O que bloqueia a subida do Qi Puro à cabeça para abrir os orifícios (onde se incluem os ouvidos), e a descida do Qi Impuro da cabeça, resultando em Zumbidos e Tonturas.

Exposição a sons muito altos

A exposição prolongada a sons altos como pode acontecer em fábricas ou discotecas onde a música alta é tocada pode causar Tinnitus.
Porém, como sempre, a mais importante diferenciação do Zumbido está entre o Excesso e o Vazio. O Excesso é causado pela subida de algum agente patogénico externo ao ouvido. Geralmente pode ser Fogo, Vento, Yang, Fleuma ou Fleuma-Calor. Zumbido derivado da exposição aos sons altos é considerada do tipo Excesso e tratada como tal. O tipo Vazio do Tinnitus é descrito como sendo uma deficiência de Qi (normalmente) que não chega a cabeça e aos ouvidos. Pode ser Qi do Rim, Essência do Rim, Qi do Pulmão ou Sangue do Coração.

Do ponto de vista do diagnóstico, Zumbidos com aparecimento abrupto e violento é do tipo excesso. É aliviada pela pressão da mão no ouvido.

 

Diferenciação

Excesso

Subida do Fogo do Fígado ou Vesícula-biliar
Fleuma-calor que agita o alto

Deficiência

Essência do Rim
Qi do Aquecedor Superior
Sangue do Coração

 

Grupo de Risco

Embora o zumbido atinja grande parte da população mundial, existem alguns fatores de risco que podem fazem com que algumas pessoas tenham pré-disposição.

No geral, os adultos são mais atingidos que as pessoas mais jovens. Entretanto, com o aumento da popularidade dos aparelhos eletrônicos e fones de ouvido, adolescentes e jovens que se expõem a barulhos muito fortes, estão cada vez mais apresentando zumbidos.

  • Populações que se expõem constantemente a fortes ruídos também são propensas a terem zumbidos. Isso inclui trabalhadores de construção civil e fábricas, trabalhadores que atuam no trânsito (motoristas, taxistas, etc), DJ´s e músicos de casas noturnas, etc.
  • Homens também tem incidência maior de desenvolvimento de zumbido, sobretudo os caucasianos. A incidência também é alta em populações idosas (acima dos 65 anos), sobretudo devido à perda normal de audição pela idade.
  • Outro grupo de risco é das pessoas que sofrem de estresse pós-traumático. Nesse caso, o zumbido é particularmente agravado com ruídos fortes.

Tratamento

A Medicina Tradicional Chinesa oferece segundo a Organização Mundial de Saúde, tratamento com eficácia superior a medicação convencional.

Para o tratamento do Zumbido nos ouvidos ou Tinnitus, a Medicina Tradicional precisa de um diagnóstico diferencial como explicado anteriormente para perceber e compreender a causa da sintomatologia que é o zumbido.

Através da Acupuntura, Moxabustão, Fitoterapia, Dietética e de outras técnicas, a Medicina Tradicional Chinesa torna-se em uma escolha segura para o tratamento do zumbido nos ouvidos.

Deseja informar-se mais acerca da Medicina Tradicional Chinesa e dos seus tratamentos? Clique aqui

TuiNá • Auto-Massagem para o tratamento do Zumbido

  1. Pressionar e Amassar o centro do topo da cabeça (Du20), 30 vezes;
  2. Com os polegares, Pressionar e Amassar as depressões abaixo do osso occipital (Gb20), no bordo inferior do crânio, 30 vezes;
  3. Pressionar com o dedo médio na depressão imediatamente em frente ao ouvido (Sj17) e com o dedo indicador atrás do lóbulo da orelha (Si19), 30 vezes cada. Após a pressão, esfregue com os mesmos dedos as respetivas zonas, anterior e posterior das orelhas, 30 vezes;
  4. Com os polegares, amasse fortemente os bordos laterais da coluna lombar, 30 vezes. (procure estar com a musculatura o mais relaxada possível);
  5. Pressionar e Amassar o ponto (Li4), imediatamente após a prega e no centro do músculo que liga os dedos indicador e polegar, 30 vezes em cada mão;
  6. Pressionar a depressão por baixo do maleolo interno – tornozelo – (Ki3), 30 vezes em cada pé.

Esta massagem fortalece os Rins e promove o bom funcionamento dos ouvidos, ajudando a aliviar o Zumbido, dificuldade auditiva e problemas internos dos ouvidos.

Apresentamos também informações adicionais para os seguintes sintomas:

  • Zumbido induzido por crises emocionais, acompanhada de tonturas, irritabilidade, boca seca e obstipação.
  1. Com os polegares nas têmporas, Esfregar a testa com os bordos laterais dos dedos indicadores, 30 vezes;
  2. Pousar as palmas das mãos sobre os lados do umbigo e, em seguida, esfregar para cima e para baixo ao longo do abdómem inferior, 30 vezes;
  3. Amassar no pescoço o ponto localizado a meio, no fim da linha de implantação dos cabelos (Du16), 30 vezes;
  4. Amassar e esfregar ambos os lados das costas, lateralmente à nona vértebra torácica. Por baixo das omoplatas (Bl18), 30 vezes;
  5. Amassar e Pressionar os lados externo (SJ6) e interno (PC6) do antebraço, cerca de 2 dedos de distância da prega de flexão do punho, 20 vezes cada antebraço;
  6. Pressionar e Amassar dorso do pé, na depressão entre o dedo grande e o segundo dedo do pé (LR3), 30 vezes em cada pé;
  7. Pressionar e Amassar na depressão em frente ao maleolo externo do tornozelo (GB40), 30 vezes em cada pé;
  8. Com os polegares nas têmporas, Esfregar a testa com os bordos laterais dos dedos indicadores, 30 vezes.

 

  • Zumbido com sons de cigarra acompanhado de surdez, tonturas, opressão torácica e expectoração.
  1. Cerrar os punhos e bater a meio do ombro oposto (Gb21), 30 vezes em cada lado;
  2. Use o dedo médio para amassar o lado lateral da terceira vértebra torácica (Bl13), 30 vezes em cada lado;
  3. Amassar a meio do esterno – peito – (Rn17), 30 vezes;
  4. Esfregar transversalmente a região do peito, 30 vezes;
  5. Esfregar a testa com os dedos indicadores, 30 vezes.

 

  • Zumbido acompanhado de tonturas, fraqueza lombar e espermatorreia.
  1. Esfregar a testa com os dedos indicadores, 30 vezes;
  2. Amassar e Bater com os punhos em ambos os lados da região lombar, 60 vezes;
  3. Esfregar transversalmente em toda a região lombar e quadril, 30 vezes.

 

  • Zumbido acompanhado de pouco apetite, estado depressivo e respiração curta.
  1. Esfregar a testa com os dedos indicadores, 30 vezes;
  2. Com as mãos sobrepostas, Esfregar o abdómem superior, 30 vezes;
  3. Amassar, Esfregar e Bater em ambos os lados da coluna lombar superior, 30 vezes.

 

 Mapa dos pontos para auto-massagem no Zumbido – Tinnitus.SPClinic Massagem Zumbidos tinnitus

 

Prevenção

  • O zumbido, quando causado por fatores externos, pode ser facilmente prevenido:
  • Use proteção nos ouvidos se você trabalha em locais com muito barulho, como no meio da rua ou em casas noturnas. Esteja particularmente atento se você trabalha com música, serrotes, serras elétricas ou outros aparelhos barulhentos.
  • Ouça música com volume baixo. Fique atento ao volume de aparelhos com fones de ouvido para que eles não prejudiquem sua audição.
  • Fique atento à tensão arterial e sua saúde cardíaca. Aumento da tensão arterial causa zumbido.
  • Controle o seu peso e pratique exercícios. Essas práticas ajudam no controle da tensão arterial. Não abuse no álcool, açúcar, cafeína e lacticínios. Esses produtos podem agravar o zumbido.
  • Evite o acúmulo de cera no seu ouvido. Faça limpezas periódicas e mantenha sempre uma boa saúde auditiva.
  • Evite fumar. O tabagismo aumenta a tensão arterial e é um fator de predisposição para o zumbido.
Autor:

Douglas Pompermaier
Especialista em Medicina Tradicional Chinesa

Referências

Centro de Otorrinolaringologia de Coimbra
Minha Vida
Fundação Otorrinolaringologia
Criar Saúde
Shen Nong
Essential of Chinese Medicine vol.1 – Zhanwen Liu, Liang Liu
Practice of Chinese Medicine – Giovanni Maciocia

 

SP Clinic corpo&mente – Clínica e Centro de tratamento do zumbido no ouvido em Lisboa, no Largo do Rato e próximo das Amoreiras e Campo de Ourique. Tratamento para acúfenos. Tratamento para o tinnitus. No centro de Lisboa, perto de si.