Alimentação na Medicina Tradicional Chinesa

Dietética Chinesa ou Terapia Alimentar Chinesa, é uma das grandes ferramentas da Medicina Tradicional Chinesa tanto para a prevenção como na manutenção do estado de saúde, usando os princípios desta (MTC) para reestabelecer o estado de saúde quando necessário.

O conceito de Yin e Yang é empregado na alimentação assim como na MTC. O equilíbrio desse “conceito Yin e Yang” é primordial para se atingir o bem estar e o estado de saúde. Para tal, é necessário reconhecer as características energéticas de cada alimento, desde a temperatura, sabor, cor, as suas ações e funções, tropismo energético e características individuais, que irão tornar determinado alimento apropriado ou não em cada caso. Segundo a filosofia oriental, é necessário que a pessoa faça uso dos dois tipos de alimentos para manter o corpo em equilíbrio. Isso quer dizer que uma pessoa que come em demasia alimentos Yang está mais propensa a sofrer de acne e mau-hálito, enquanto uma pessoa com falta de alimentação Yang pode ter sérios problemas de letargia ou anemia.

Má alimentação

Dos erros mais comuns, por exemplo, é pensar que a “salada” de alface e tomates é algo extraordinariamente saudável, e ingerir esta combinação de salada em todas ou quase todas as refeições. Pois bem, a salada assim como muitos dos alimentos crús, ao serem ingeridos em demasia acabam por prejudicar o sistema digestivo, que requer de um grande esforço energético para realizar a sua digestão, assim, uma inofensiva salada que deveria ser um prato saudável, torna-se no vilão que lesa o organismo deixando-o cada vez mais frágil e debilitado, isso porque esse tipo de alimentos possuem uma natureza yin, retirando todo o dinamismo, natureza yang, do aparelho digestivo.

Outro exemplo é a carne vermelha, ela que é excelente para nutrir o sangue e repor aquela energia que tanta falta nos faz, dos melhores tónicos que realmente existe para o sangue. Porém, a carne vermelha muito facilmente cria um processo de fermentação no organismo, fazendo com que a temperatura corporal aumente para satisfazer a necessidade de digestão e transformação da carne, originando febre intestinal como é conhecida, esse calor da febre, através da fermentação, rapidamente passa para as mucosas, para o sangue e órgãos espalhando-se por todo o corpo. Calor esse que no sangue por exemplo poderá estar na origem de alguns problemas de pele como a psoríase ou a urticária, e de nada serve tratar a manifestação topicamente com cremes ou fármacos sem antes limpar o sangue de toda a toxina que nele reside, ou seja, toxinas geradas pelo abuso alimentar da carne vermelha.

As implicações de uma má alimentação são gigantescas, variando os sintomas e sinais de acordo com cada indivíduo. Se deseja ter uma alimentação adequada, tenha em atenção a qualidade dos alimentos que compra, e acima de tudo sem radicalismos. A base de uma boa alimentação está na variedade, até porque a gordura também é necessária ao organismo, assim como as saladas e a carne vermelha. Portanto, comer de tudo sem abusar em nada específico.

O que fazer

Um concelho prático, evite comer todos os dias o mesmo tipo de alimento. Se hoje de manhã bebeu café, no dia seguinte experimente uma papa de aveia, ou um sumo de frutas, ou então somente as frutas, ou uma sopa. Sopa de manhã? Sim, sabia que o sabor salgado espevita e deve ser consumido de manhã, enquanto que o doce acalma, sendo mais recomendado durante a noite? Variedade e sem excessos, palavras a não esquecer na próxima ida ao supermercado.

[+] Leia mais acerca da Terapia alimentar aqui.

Informe-se com o seu terapeuta sobre o tipo de alimentos e como os deve consumir.

 

Autor: Douglas Pompermaier – Especialista de Medicina Tradicional Chinesa

SP Clinic corpo&mente – Clínica e Centro terapia alimentar em Lisboa, no Largo do Rato e próximo das Amoreiras e Campo de Ourique. Tratamentos através da alimentação. No centro de Lisboa, perto de si.